Domingo, 13 de Junho de 2021
(69) 992851851 - 993838164
DESTAQUES Brasil

Casal gay acusado de usar cachorrinho para aplicar golpes em outros Estados teria vindo para Rondônia

RO

25/05/2021 20h16
Por: Admin Fonte: comando190
Casal gay acusado de usar cachorrinho para aplicar golpes em outros Estados teria vindo para Rondônia

O casal de estelionatários Marco Aurélio Ferreira e o marido Samuel, que usaram o cachorrinho Spike para aplicar golpes em pelo menos quatro cidades de Mato Grosso e chegaram a ser presos em Cuiabá, já passaram por mais três estados apenas nos meses de abril e maio: São Paulo, Paraná e Rondônia, aplicando o mesmo golpe do "Casal gay demitido do trabalho por discriminação e que precisa de ajuda para voltar para casa sem deixar o cãozinho para trás".
 

COMO FUNCIONA O GOLPE?
Marco e Samuel chegam a determinada cidade, onde 'inicialmente' procuram ONGs animais e contam sua história: 
"Chegamos na cidade para trabalhar, contratados, tudo acertado, mas quando o patrão nos conheceu não aceitou o fato de sermos um casal gay e demitiu. Nós deixamos nossa casa, vendemos tudo que tínhamos e agora estamos aqui na rodoviária tentando ajuda para voltar para casa, próximo à família recomeçar a vida. Já temos parte do dinheiro, mas precisamos pagar a passagem do Spyke, que é um filho nosso. Ele tem que pagar passagem inteira no ônibus e jamais deixaríamos ele para trás. Uma assistente social entrou em contato com a gente, mas até para ir para um abrigo teríamos que deixar nosso 'filho' na rua, por isso estamos dormindo aqui na rodoviária até conseguir dinheiro para ir embora".
 
Após conseguir o apoio de ONGs que defendem a causa animal, que em Mato Grosso, por exemplo, contrataram até advogado por causa do crime de homofobia, o casal procura a mídia: TV, sites e rádio para divulgar sua história.
 
Por se tratar de uma história comovente, apelativa e de urgência, já que são dois homens e um cachorro, supostamente, passando necessidade na rua, até mesmo passando fome, a mídia compra a história após uma apuração rápida. Os estelionatários mostram passagens da data que chegaram à cidade, se escondem atrás do apoio das ONGs e chegam a passar até mesmo o contato, falso, do local onde foram discriminados, para comprovar o golpe.
 
Numa busca pelo nome dos estelionatários no google é possível encontrar reportagens com denúncias relatando esses fatos em diversas cidades diferentes do país.
 
Após conseguirem dinheiro e passagem para outra cidade, os estelionatários viajam com o cachorrinho e começam tudo de novo.
 
A falsa história comove e chega a causar revolta a todos por onde o casal passa. As pessoas se comprometeram com a causa,  realizaram campanhas e arrecadaram dinheiro para o casal, que friamente enganava a todos.


 
CRIME DESCOBERTO EM MATO GROSSO
Marco e Samuel chegaram a Mato Grosso, até onde foi apurado, no início do mês de abril. No dia 08, os estelionatários deram uma entrevista para o SBT local do município de Campo Verde (MT), onde já tinham por trás ONGs e outras pessoas ajudando. Conseguiram dinheiro e deixaram a cidade. No entanto, as ONGs locais receberam denúncia da cidade de Primavera do Leste, também em Mato Grosso, de que se tratava de um golpe, pois, os dois já tinham passado por lá.
 
No dia 28 de abril o casal estava em Rio Claro, São Paulo, aplicando o mesmo golpe, não foram descobertos e foram embora. No dia 04 de maio, os golpistas chegaram a Cuiabá (MT), onde agiram da mesma forma, porém, minutos após a primeira reportagem do site de notícias Repórter MT entrar no ar, chegaram denúncias de Campo Verde com fotos do casal na cidade e uma ONG contando o que os dois tinham aprontado na cidade.
 
Marco e Samuel, ainda na rodoviária da Capital matogrossense, negaram o fato, porém, uma imagem enviada dos dois dando entrevista no interior do Estado vizinho foi o ponto-chave. Com ajuda do SBT de Cuiabá (TV Rondon), equipe de reportagem do Programa do Pop, que chegou ao terminal para fazer reportagem pedindo ajuda, mas que foi informada sobre o golpe,  fez contato com o canal do interior e confirmou a entrevista no dia 08, quando o produtor do Programa Noticidade, em Campo Verde, relatou a passagem do casal por lá, constatando o golpe e informando que os estelionatários tinham passado por outras cidades mato-grossenses.
 
O casal pediu ajuda a diretora de uma ONG, que também foi enganada e ainda não tinha todas as informações do golpe. Ela chegou ao terminal rodoviário de Cuiabá, onde defendeu o casal e os protegeu até o horário de embarque. Mas logo a Polícia Militar chegou e, junto com o editor do site Repórter MT, tirou os bandidos do ônibus e encaminhou à Delegacia Central de Flagrantes, onde vítimas, testemunhas e acusados foram ouvidos e os estelionatários confessaram o golpe.
 
Como ainda não tinham passagens criminais, o casal foi “repreendido”, mas acabou solto, recuperaram o Spyke, que até então estava com a diretora da ONG, e deixaram Mato Grosso.
 
No mesmo dia o Repórter MT publicou reportagem denunciando o crime e,  desta vez, chegou informações da passagem do casal com o cachorro em Rondonópolis e Barra do Garças, onde também aplicaram golpe.
 
GOLPES PELO BRASIL
Após serem desmascarados, presos e liberados da Central de Flagrantes em Cuiabá, Marco, Samuel e Spyke, que tinham passagens pagas para Indaiatuba, São Paulo, cidade onde eles disseram ter família, chegaram ao município paulista. De lá, relataram ter passado por Limeira e chegaram à rodoviária em Rio Claro.
 
Lá tiveram a ajuda de uma advogada, reconhecida pelo trabalho na proteção animal.

Os estelionatários contaram à advogada que uma mulher de nome Alessandra teria usado a história deles para arrecadar dinheiro e desapareceu. Em seguida, relatou a história do golpe e pediu ajuda,  ressaltando a urgência para não perder as passagens que já tinha conseguido, faltando apenas a do Spyke para que a 'família' voltasse para o Maranhão.
 
A advogada, enganada pelo casal, gravou com os estelionatários na rodoviária, pediu ajuda e o casal conseguiu diversas doações, dinheiro, e foram embora do estado.
 
A reportagem denunciando o crime circulou pela cidade e chegou ao conhecimento de um Pet-Shop de Rio Claro, coincidentemente, onde Spyke tomou banho e foi cuidado. O funcionário entrou em contato com o Repórter MT e fez a ponte para que a reportagem conversasse com a advogada, que relatou a passagem deles pela cidade e mandou imagens dos dois pedindo ajuda.
 
PARANÁ
O site de notícias G1 Paraná também foi vítima dos golpistas. A reportagem gravou com Marco na rodoviária da cidade de Curitiba no dia 14 de maio. Desta vez, Samuel não apareceu, no entanto o golpista citou o 'marido' na entrevista e contou a mesma história.
 
Marco contou que tinha o sonho desde 'mais novo' de morar e construir a vida na cidade, por isso, se mudou de 'mala e cuia', mas não conseguiu emprego, foi vítima de preconceito e agora precisava de ajuda para voltar para casa, desta vez, em Rondônia.
 
O casal recebeu ajuda de diversas ONGs, conseguiu doações de ração para o Spyke, comida, dinheiro e passagem, não foi descoberto a tempo e seguiram para Rondônia.
 
AJUDE A TERMINAR COM ESSES GOLPES
A última informação é de que os estelionatários seguiram para Rondônia, porém, podem trocar passagens ou descer em outras cidades e continuar aplicando golpes, brincando com a boa-fé das pessoas e enganando para conseguir dinheiro.
 
O casal já tem um boletim de ocorrência registrado por crime de estelionato em Cuiabá. Segundo o delegado que atendeu à ocorrência, o melhor procedimento é a reprodução de reportagens e o compartilhamento para que Marco, Samuel e o cãozinho Spyke sejam reconhecidos por onde passarem nas diversas cidades do país e sejam novamente denunciados até que a Justiça os deixem presos pela recorrência no crime.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias