Nosso super mercado1
Brasil

Operação Boi Gordo mira empresários e servidores públicos corruptos em Rondônia; Vice prefeito Edgar do Boi está na lista

Rondônia

03/12/2019 23h08
Por: Admin
Fonte: O OBSERVADOR

Porto Velho, RO - O Ministério Público do Estado de Rondônia, por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO), com apoio da Polícia Civil, deflagrou na manhã desta terça-feira (3/12), a Operação denominada “BOI GORDO”, destinada a investigar esquema de organização criminosa, envolvendo a prática de crimes contra a administração pública, a exemplo de crimes de corrupção, ativa e passiva, falsidades ideológica e documental, dentre outros, em desfavor do Erário Estadual.

Por meio de conteúdo probatório aportado junto ao Ministério Público Estadual, revelou-se estrutura criminosa no Estado, envolvendo empresários do ramo de Frigoríficos e servidores públicos, a qual, durante anos, impediu fiscalizações do ICMS, e, assim, possibilitou a sonegação expressiva deste imposto, mediante pagamento de milhões de reais à título de propina.

Estão sendo cumpridos medidas de busca e apreensão nos Municípios de Ariquemes e Porto Velho.

Edgar do Boi cai na Operação do “BOI GORDO”

O vice-prefeito de Porto Velho, Edgar Nilo Tonial, o Edgar do Boi (PSDC) é um dos alvos da operação Boi Gordo, realizada na manhã desta terça-feira, em Porto Velho, pelo GAECO e pela Polícia Civil, que investiga uma suposta organização criminosa, envolvendo a prática de crimes contra a administração pública, a exemplo de crimes de corrupção, ativa e passiva, falsidades ideológica e documental, dentre outros, em desfavor do Erário Estadual.

Segundo o MP, a estrutura criminosa no Estado, envolve empresários do ramo de Frigoríficos e servidores públicos, e, durante anos, impediu fiscalizações do ICMS, possibilitando a sonegação expressiva deste imposto, mediante pagamento de milhões de reais à título de propina. Vários mandados de prisão e de busca e apreensão estão sendo cumpridos também em Ariquemes. 

O suposto envolvimento de Edgar do Boi com questões envolvendo fraudes no segmento frigorífico foi denunciado em 2017. Ele foi um dos delatados pelos executivos da JBS. No depoimento de Valdir Aparecido Boni, divulgado pelo Supremo Tribunal Federal (STF), ele diz que teriam sido pagos cerca de R$ 4 milhões de propina em troca de benefícios fiscais. Esse foi o principal motivo para que Edgar do Boi se afastasse do cargo de vice-prefeito em maio de 2017. 

Na delação, Valdir Aparecido Boni disse que entre 2012 e 2014 pagou cerca de R$ 2 milhões e em 2015 mais R$ 1,8 mil de propina em troca de benefícios fiscais no estado de Rondônia. Na delação, Valdir Aparecido Boni disse que entre 2012 e 2014 pagou cerca de R$ 2 milhões e em 2015 mais R$ 1,8 mil de propina em troca de benefícios fiscais no estado de Rondônia.

Após adquirir fábricas da Guaporé Carnes em Rondônia, segundo Boni, a JBS foi procurada para uma reunião. No encontro Boni relatou a proposta de pagamento de propina a uma empresa de contabilidade e também a Edgar Nilo Tonial.

Os pagamentos, segundo depoimento de Valdir, eram enviados a um banco da filial da JBS em Porto Velho. Um funcionário sacava o dinheiro em espécie e entregava ao contador da empresa.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.