Sábado, 17 de novembro de 2018
(69) 992851851 - 993838164

27º

Min 23º Max 31º

Trovoadas

Ouro Preto do Oeste - RO

às 20:07
Brasil

10/10/2018 ás 12h48 - atualizada em 10/11/2018 ás 13h48

326

Admin

Rondônnia / RO

Energisa 'absorve' 942 funcionários da Ceron, mas diz não ter detalhes sobre demissões
Brasil
Energisa 'absorve' 942 funcionários da Ceron, mas diz não ter detalhes sobre demissões

Dez dias depois de assumir a distribuição de energia da Eletrobras Rondônia, o grupo Energisa informou que "absorveu" os mais de 900 funcionários da extinta Ceron. Segundo o novo diretor-presidente do grupo Energisa, André Theobald, mesmo com esta 'absorvição' a empresa não tem detalhamento sobre demissões dos trabalhadores da Eletrobras.





“Não temos nenhum detalhamento sobre demissão. Apenas contamos com os 942 colaboradores da Ceron nesse momento para que o consumidor não sinta mudança nas operações de serviço”, afirma André.




A empresa assumiu a Eletrobras Rondônia no fim de outubro. Entre as mudanças está a redução de 1,75% no valor da conta de energia.




Segundo Theobald, a nova gestão, agora privada, será muito diferente da antiga. O grupo diz que haverá mais investimentos na modernização da frota, na compra de equipamentos e aquisição de tecnologia. Tudo isso, conforme Theolbald, será para diminuir a falta de energia elétrica, evitando os ‘apagões’.




O Grupo Energisa assumiu o controle da Eletrobras Distribuição Rondônia após vencer um leilão realizado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES) em agosto desse ano.




 



Tarifas



 




Conforme o diretor-presidente, um novo reajuste no valor da conta de energia estava previsto para acontecer no dia 30 de novembro, data que foi alterada para 13 de dezembro, conforme as regras do leilão. A redução, firmada até o momento, é de 1,75% para os consumidores.




No entanto, Theobald explica que os reajuste não dependem unilateralmente da empresa responsável pelo fornecimento de energia.




“O valor da tarifa é divido em três partes bem distintas. Uma parte é da geração de energia, praticamente definida pelo Governo. A parte que ficará com a Energisa, que chamamos de parcela B, terá a redução de 1,75, como acordado no leilão. A terceira parte é resultado de impostos”, explica o novo presidente.




 



Investimentos



 




Em 2019, a Energisa afirma que fará investimento de aproximadamente R$ 470 milhões para a modernização e expansão da rede de energia elétrica em áreas ainda não assistidas pelo serviço.



Segundo o novo presidente, há um estudo deixado pela Eletrobras, da qual a empresa pretende acelerar até 2020, referente a 17 regiões em Rondônia que hoje são atendidas por termoelétricas, movidas através da queima de combustíveis.




“Vamos tirar locais do isolamento e trazer eles para se conectarem a nossa rede. Com isso, a região não ficará mais reprimida, gerando desenvolvimento e sustentabilidade”, garante presidente.




 



Relação com o consumidor



 




Sobre uma das principais queixas dos usuários, a empresa ganhadora do leilão afirma que manterá os mesmos canais de acesso com o cliente, mas acrescentando uma nova forma de relacionamento com o consumidor.




“Vai haver um aplicativo 24 horas para que o cliente não tenha o trabalho de ligar para uma central ou ir até a uma agência. Apostamos no autoatendimento”, garante André Theobald.






 

André Theobald, novo diretor-presidente da Eletrobras Rondônia.  — Foto: Rilmo Dantas/Rede AmazônicaAndré Theobald, novo diretor-presidente da Eletrobras Rondônia.  — Foto: Rilmo Dantas/Rede Amazônica

André Theobald, novo diretor-presidente da Eletrobras Rondônia. — Foto: Rilmo Dantas/Rede Amazônica





Eletrobras Rondônia foi arrematada pelo Grupo Energisa no dia 26 de agosto de 2018. Com a aquisição, a empresa ficará responsável por atender mais de 633 mil consumidores nos 52 municípios do Estado.





Ao G1, André Theobald lembrou que em junho de 2018, a Eletrobras Rondônia foi citada no ranking da Aneel como uma das cinco piores distribuidoras de energia do Brasil com um prejuízo acumulado nos últimos três anos de R$ 4,1 bilhões.





FONTE: G1 RO

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium